Títulos verdes $2trillion

US$ 3,5 trilhões em emissão acumulada de títulos verdes, sociais, de sustentabilidade, vinculados à sustentabilidade e rotulados de transição

Dados de inteligência de mercado da Climate Bonds revelaram que US$ 2 trilhões em títulos verdes foram emitidos até o momento. Ao contrário de outros base de dados sobre títulos verdes, a Climate Bonds rastreia títulos auto-rotulados emitidos globalmente e inclui em seu Banco de Dados apenas emissões que demonstram ambição climática alinhada com o Acordo de Paris.

Esse marco significativo é destacado em nosso último relatório trimestral de atualização do mercado, que trás  uma análise abrangente da emissão de títulos rotulados e uma visão do que podemos esperar da crucial Cúpula Climática da COP27.

 

O rótulo verde faz parte da crescente safra de rótulos de títulos sustentáveis ​​(sociais, sustentáveis, vinculados à sustentabilidade e de transição), que atingiram um volume cumulativo de US$ 3,5 trilhões no final do terceiro trimestre. Essa  notícia chega no momento que a Climate Bonds pede para que o mercado amplie emissões rotuladas verdes  para um volume de US$ 5 trilhões por ano até 2025 para combater o colapso climático, que cresceu diante de anos de inação.

 

O marco de US$ 2 trilhões de títulos verdes chega em ano difícil para o mercado global de títulos

As tensões geopolíticas e o aumento da inflação que surgiram este ano prejudicaram o mercado global de títulos e contribuíram para uma queda nas emissões em geral. Em 2021, um ano recorde para a emissão de VSS+ (Verde, Social, Sustentabilidade e afins), a dívida rotulada constituiu 5% de toda a dívida emitida. Embora 2022 tenha visto uma diminuição nos volumes globais de títulos, a participação da emissão de VSS

+ permaneceu inalterada em relação àos números de 2021. Espera-se que a dívida rotulada, que consistentemente atraiu o forte apetite dos investidores do mercado, possa oferecer resiliência em circunstâncias econômicas difíceis.

Os volumes totais de títulos verdes, sociais, de sustentabilidade, vinculados à sustentabilidade (SLB) e títulos de transição (VSS+) atingiram US$ 152,3 bilhões no terceiro trimestre de 2022, uma queda de 35% em relação ao segundo trimestre de 2022 e de 45% em relação ao terceiro trimestre de 2021.

Os volumes acumulados da dívida VSS+ atingiram US$ 635,7 bilhões no final do terceiro trimestre. Mais da metade do total (52%, US$ 332,5 bilhões) veio de títulos verdes. Os títulos de sustentabilidade forneceram 22,4% (US$ 142,1 bilhões), sociais 14,8% (US$ 94,2 bilhões), SLBs 10% (US$ 63,6 bilhões) e os de transição compreenderam a menor participação, em 0,5% (US$ 3,4 bilhões).

 

COP 27: Destaque no Oriente Médio e na África

A COP27 destacará o investimento maciço necessário para combater as mudanças climáticas nos mercados emergentes (ME), incluindo os do Oriente Médio e África (MEA ). Como país anfitrião, a localização do Egito no canto nordeste da África trará um foco renovado para a região que, tendo sido particularmente atingida pelas ramificações da COVID-19, também está sofrendo os impactos econômicos da invasão russa da Ucrânia.

Pela primeira vez, a Climate Bonds analisou a forma e o tamanho do mercado de dívida VSS+ na África. A Climate Bonds registrou US$ 33,2 bilhões de dívida temática originária da região. Embora o crescimento nos últimos quatro anos tenha sido constante, os volumes acumulados são inferiores a 1% do mercado global de VSS+, indicando um grande potencial de crescimento.

 

Os governos podem desempenhar um papel de liderança e, até o momento, os títulos soberanos VSS originaram-se de quatro nações da região. No geral, o verde é o tema dominante, com 56% dos volumes acumulados. Os SLBs são responsáveis ​​pela segunda maior participação, com 23%. Esses instrumentos foram emitidos em 14 moedas de 17 países.

 

Climate Bonds pede que emissões atinjam US$ 5 trilhões por ano até 2025

A Climate Bonds está pressionando para que pelo menos US$ 5 trilhões somente em títulos verdes sejam emitidos anualmente até 2025. O manifesto 5 Passos para 5 Trilhões, publicado recentemente, propõe cinco ações que devemos coletivamente tomar para atingir essa meta ambiciosa.

O quinta passo é impulsionar os mercados emergentes, apoiando o fluxo de capital para os lugares certos para enfrentar as mudanças climáticas. As nações mais pobres precisam urgentemente de financiamento para mudar de atividades carbono intensivas para alternativas verdes. Infelizmente, o capital privado ocidental não está fazendo o suficiente, com blended finance (financiamento misto) em declínio nos últimos anos, apesar da crescente urgência.

Mecanismos para fazer o capital fluir dos mais ricos para os mais pobres, como financiamento misto para absorver parcelas de capital júnior, garantias de redução de risco e negócios de maior porte, devem ser multiplicados. O desenvolvimento econômico deve se basear na mitigação desde o início, e grandes projetos devem ser financiados por meio dos mercados de capitais para incentivar investimentos dedicados

 

A última palavra

À medida que a próxima cúpula da COP27 se aproxima, também aumenta o senso de urgência para obter resultados climáticos. O último Relatório de Mudanças Climáticas da ONU mostra que os países estão dobrando a curva das emissões globais de gases de efeito estufa para baixo, mas ressalta que esses esforços permanecem muito distantes para limitar o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius até o final do século.

 

Sean Kidney, CEO da Climate Bonds Initiative, disse: "A COP do Egito é uma ponte para a COP28 nos Emirados Árabes Unidos. Uma oportunidade única para a região mostrar seu potencial de oferecer oportunidades de investimento climático e desbloquear seu verdadeiro potencial nesta corrida global para combater as mudanças climáticas."

“Para ter uma chance de cumprir as metas de 2050 do Acordo de Paris, devemos reduzir as emissões pela metade ainda nesta década. Isso significa escalar os fluxos de capital para as causas climáticas rapidamente, começando com US$ 5 trilhões anuais em financiamento sustentável sendo emitidos ate 2025.”

 

Sem que a resposta à crise climática seja realizada, a história sempre olhará para trás neste momento como um fracasso monumental para a humanidade. Nós da Climate Bonds aguardamos anisosamene os resultados da COP27. Você pode nos encontrar na COP27 para a nossa cobertura do evento! Mais informações aqui.

 

'Até a próxima!

 

Títulos climáticos